O verdadeiro detox que precisamos

Espero que você esteja com as energias renovadas e pronta para viver esse ano expressando toda a sua potência!

Esse é o primeiro post do ano e preciso dizer que estava com saudades! <3

Afinal nós temos uma relação e sempre é muito bom poder ter essas conversas com você!

E por falar em relação, é justamente esse tema que quero trazer hoje: a qualidade dos nossos relacionamentos.

Porque não adianta prometermos que vamos ter um ano mais centrado em nós mesmas, cuidar mais da saúde, se não tivermos um olhar especial para os nossos relacionamentos. Não devemos insistir em algo que não nos faz bem.

Hoje em dia escutamos por toda parte “tal pessoa é tóxica”, “eles têm um relacionamento tóxico”, mas será mesmo que a gente sabe identificar essa toxicidade?

Porque ninguém entra em uma relação já com essa consciência. E na maioria dos casos, não é ruim já no começo. É na convivência, nas atitudes diante dos conflitos que é possível identificar comportamentos não saudáveis. Nossos e dos outros.

E veja bem, aqui não estamos falando de relacionamentos abusivos, que podem conter desde mecanismos de controle psicológico até a agressão física nos casos mais extremos.

Os relacionamentos tóxicos que estamos falando são ainda mais comuns de encontrar. E não são necessariamente amorosos. Podem ser de amizade, na família, no trabalho.

A interação humana é dinâmica. É normal que de vez em quando a gente se irrite, fique chateada, triste. Quando estamos lidando com outras pessoas, não dá pra esperar que seja sempre um mar de rosas inabalável.

Mas é muito importante saber identificar o que são episódios isolados e quando estamos em uma relação que já virou tóxica.

 

 

E para isso temos as famosas bandeiras vermelhas. Que na verdade são muitas, mas separamos algumas das principais aqui.

Como é um relacionamento tóxico:

- Não tem conversa

Qualquer relação deve ter liberdade para que haja conversa. Mesmo quando há um incômodo. Quando mágoas são guardadas, engolidas, elas podem virar uma verdadeira bola de neve e chegar ao ponto em que não há conversa que salve. O diálogo deve ser constante em toda relação.

- As críticas não são construtivas

A pessoa parece querer criticar apenas para te magoar, cutucar justamente aquela ferida que incomoda. Os comentários não são para te dar um toque e você avaliar se de fato é algo que você precisa melhorar. É bastante característico dos relacionamentos tóxicos a pessoa te criticar inclusive por algo que não dá para mudar.

- A pessoa tenta te diminuir

Por que colocar para baixo alguém com quem você se relaciona? As motivações são variadas. Pode ser uma tentativa de demonstração de poder, de autoafirmação ou até insegurança da pessoa mesmo. Quem quer ter por perto alguém que faz suas conquistas parecerem triviais ou que não está interessada de fato nos seus objetivos?

- Você fica angustiada antes de encontrar a pessoa

Às vezes o nosso corpo em um nível subconsciente entende melhor a situação que estamos vivendo do que nós mesmas, conscientemente. Aquela ansiedade e aperto no peito antes de estar com a pessoa não são normais.

- Você se fiscaliza

O famoso pisar em ovos para não irritar a pessoa. Você sabe o que ela pode não gostar e evita fazer ou falar para não criar um mal-estar. Essa constante necessidade de se policiar não acontece quando podemos ser nós mesmas. E se não podemos ser quem a gente é, o relacionamento não pode ser bom.

- A pessoa desperta o que há de pior em você

Vamos combinar que ninguém é perfeita. Todas temos dias ruins e sentimentos ruins. É normal. Mas o que não pode ocorrer é quando alguém parece despertar e nos faz agir das piores formas possíveis. Às vezes você não é ciumenta, controladora, desconfiada, mas acaba tendo esses comportamentos por ser colocada em situações que te levam a isso.

- Vocês competem

Competição saudável só em gincanas ou no esporte mesmo. Na nossa vida querer competir com alguém, seja pelo motivo que for, é um sinal de alerta. A raiz da competição nos relacionamentos está na insegurança. Não queremos ficar por baixo, nos sentir menos capazes. Da mesma forma, não podemos achar normal que a pessoa pareça irritada ou triste com algo bom que conquistamos

- Você se mantém na relação com a esperança de que a pessoa vai mudar

Não vai mudar. As chances de alguém mudar são muito pequenas. E se existe evolução possível, esse aprendizado ou evolução é um caminho que a própria pessoa vai ter que trilhar, não uma forma de atender as suas expectativas, mesmo que elas sejam corretas. Basear o seu relacionamento e se apoiar nele esperando que isso aconteça só demonstra a fragilidade do que vocês estão vivendo. Relações devem ser boas hoje, mesmo com suas falhas e imperfeições. Devem permitir que as duas pessoas cresçam juntas.

- Você sente aflição sobre o futuro

As coisas mudam, sabemos que aquilo que está bem definido hoje pode mudar amanhã. Mas se você fica aflita em pensar que esse relacionamento vai continuar como é, algo não está certo.

- Você se sente culpada

Você sente que é uma pessoa ruim, que está fazendo tudo errado. Não acredite nessa culpa. Mesmo se de fato fizer algo errado, peça desculpa, evite repetir o que ocorreu e siga com a vida. Ninguém tem o direito de ficar trazendo um erro do passado e te culpar eternamente por ele.

- A pessoa critica suas escolhas

Apoiar o crescimento dos outros é fundamental. Como alguém próximo pode apenas criticar ou falar que algo importante para você não vai dar certo? O ideal é que a pessoa fale “te apoio nas suas decisões e, dando certo ou errado, estou com você”.

- Ameaças

Quando contrariada, a pessoa ameaça ir embora e tenta te controlar com o medo de perdê-la.

- Dependência e controle

É tóxico quando não há independência emocional, financeira ou física. Você deve estar em um relacionamento porque quer, não porque acha que precisa.

Antes de avaliar a qualidade dos nossos relacionamentos, precisamos eliminar outra relação tóxica muito nociva que pode existir: a que temos com nós mesmas.

 

 

Precisamos ser menos tóxicas com nós mesmas. Quantas vezes nos criticamos, nos colocamos pra baixo, achamos que não merecemos nada de bom? Implicamos com nossa aparência enquanto em outras pessoas admiramos até seus defeitos? Às vezes temos um relacionamento tão complicado com nós mesmas, que acabamos prejudicando nossas relações com outras pessoas ao pensar demais, ao ficar remoendo uma frase que foi dita e que talvez não tivesse tanta importância.

Estar bem com nós mesmas ajuda e muito a não cair em armadilhas de relacionamentos tóxicos.

 

E afinal, como é um relacionamento saudável?

 

Um relacionamento só é bom quando aceitamos o outro e somos aceitas por quem somos. Quando temos a possibilidade de crescer e evoluir juntos.

- Tem privacidade

Você não sente que precisa monitorar a pessoa e/ou não é monitorada constantemente.

- Confiança

Não tem o medo de que a pessoa vai agir de um jeito que você não gostaria. Você sabe que pode contar com ela.

 

 

- O apoio é mútuo

Vocês gostam um do outro e querem ver os objetivos de cada um se tornarem realidade. Parceria é a palavra que melhor define.

- Liberdade

Ser livre é a base de tudo. Livre para falar o que pensa e para ser quem é. Não há tentativa de controlar o outro.

-Tem leveza

Brigas e conflitos existem em praticamente todas as relações. Mas não podem ser mais frequentes que os momentos de diversão e de conforto.

 

 

Mas Free Free me ajuda, eu tenho uma pessoa tóxica na família ou trabalho, não tem como não conviver. O que eu faço?

Bom, neste caso, se a convivência é inevitável, é muito importante estabelecer limites. Não se deixar manipular, não tentar medir forças e até se recolher um pouco, não compartilhar tudo da sua vida. Certamente você encontrará pessoas cujas opiniões serão muito mais saudáveis e valiosas para a sua vida.

Citamos aqui algumas dicas básicas, mas cada pessoa e cada relação têm características muito únicas. Só você poderá identificar o que te faz bem ou não. Mas confie na sua intuição e nos seus sentimentos.

E nunca, nunca, nunquinha se esqueça: você tem o poder de decidir tudo na sua vida. Não se prenda a pessoas ou situações porque é cômodo, porque você já sabe o que esperar ou porque “poderia ser pior”.

Se dê a chance de viver plenamente, em paz com quem você é e sem medo do desconhecido.

Uma ótima semana para você!