Nosso direito de fluir

Nosso corpo é uma “máquina” muito fascinante. É através dele que vamos vivenciar de forma sensorial tudo que há nessa vida.

E como boa engrenagem complexa que é, existe toda uma dinâmica para que ele funcione. Precisamos nos hidratar, nutrir, dormir e cuidar. Naturalmente também vamos eliminar substâncias que não precisamos e liberar fluídos diversos.

E é sobre esses fluidos que gostaria de conversar com você hoje.

Porque nossos fluídos corporais são normais, são naturais (se sentir mal ou ter dor com eles não, ok?). Não podem nunca ser um motivo de vergonha ou impedimento para realizarmos nossas atividades do dia a dia.

 

Quando falamos em menstruação, estamos falando de algo que vai acontecer todos os meses, durante décadas da nossa vida.

Nosso corpo que tem a capacidade de gerar uma vida se prepara para isso. Se não acontece, há o desprendimento do endométrio e ocorre o sangramento menstrual.

Infelizmente algo que deveria ser uma simples rotina corporal é um problema para muitas pessoas: a pobreza menstrual. Por isso nos unimos com Sempre Livre e Carefree para atuarmos em questões relacionadas isso.

A partir de uma pesquisa realizada junto com o Instituo Kyra e Mosaiclab divulgamos dados muito importantes do nosso país.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Com essas informações e outras extraídas da pesquisa criamos uma cartilha super especial que você pode acessar aqui. 

E para quem quer e pode ajudar, Sempre Livre e Carefree também lançaram a Plataforma #TamoJuntas e o Mapa da Liberdade que reúnem projetos sociais e ONGs em todo o Brasil que trabalham em prol do combate à pobreza menstrual. O objetivo do mapa é facilitar a conexão de pessoas que querem apoiar a causa e instituições que já fazem a diferença para as pessoas que mais precisam.

A Yasmine McDougall Sterea, CEO e fundadora da Free Free, também participou de um bate-papo muito informativo com a Dra. Larissa Cassiano falando sobre saúde, menstruação e acesso a itens de higiene menstrual que está disponível no formato de podcast aqui.

Fluir com dignidade é um direito e precisamos que essa consciência chegue ao maior número de pessoas possível. Então aproveite e compartilhe nossa cartilha e podcast com sua família, amigos, colegas de trabalho, com todo mundo!

E tem veículo melhor para espalhar uma mensagem do que a música? A rapper Bivolt lançou a música “Dignidade pra Fluir”, criada especialmente com Sempre Livre e Carefree, que aborda de forma acessível o tema e leva o debate para a realidade periférica. O clipe ficou incrível e pode ser visto aqui. 

E fechamos o ano mostrando a ação realizada com o UNICEF que levou informação, educação e acesso aos produtos de higiene menstrual envolvendo meninas e meninos dos territórios mais vulneráveis em Recife (PE) e São Luís (MA). O vídeo que mostra essa ação está disponível no nosso Instagram.

Juntas podemos tornar o mundo mais justo e esclarecido!

 


Você está pronta para o verão da liberdade?

Você está pronta para viver um verão de todas as cores, sabores e prazeres?

 

 

Pode parecer que a resposta pra isso é óbvia, mas não é não.

Porque não é fácil largar toda a bagagem de pensamentos negativos que nos acompanha.

Ainda temos medo da pandemia, vivemos um colapso ambiental, a política e a economia estão caóticas. Se dinheiro não é um problema para você, para muitas pessoas é. E ainda temos nossos dramas profissionais, pessoais, com nós mesmas, com quem somos ou com quem gostaríamos de ser. Em crise com as coisas que queremos mudar na nossa vida, com as coisas que já vivemos, com as coisas que gostaríamos de viver e não sabemos como chegar lá.

Como curtir o momento com toda essa carga em nossa cabeça?

 

 

Como se libertar de tudo aquilo que nos assombra, os pensamentos que insistem em aparecer na hora que deitamos na cama pra dormir?

A resposta está muito mais perto do que você imagina.

Porque em um mundo de dor, de dificuldades, de sofrimento (nosso e dos outros), não podemos esquecer que nós merecemos o prazer sim.

Colecionar com carinho todos os momentos em que estávamos bem, que sentimos estar exatamente onde a gente queria, quando esquecemos das coisas ruins apenas para estar presentes naquele instante específico.

Porque a vida nunca será só de prazeres. Aliás crises, perrengues e xabus acabam sendo beeem mais frequentes.

E justamente por isso que precisamos nos apegar às coisas boas, que nos fazem sentir vivas. Essas oportunidades vão surgir na nossa vida e nós merecemos vivenciá-las ao máximo. De forma completa.

 

Não se muda o mundo, tudo que há de errado nele, as injustiças, sucumbindo ao sofrimento. Somos feitas para lutar por nossos sonhos e precisamos estar com nossas energias renovadas para isso.

Por isso, não enxergue o prazer como algo errado, que você não tem direito ou que ele será compensado por algo ruim em seguida.

E também não espere só pelos prazeres intensos e extasiantes, daqueles que fazem o coração disparar, que não nos deixam dormir de tanta emoção.

O prazer pode estar no dia a dia, nas pequenas coisas. Nos confortos que você se permite sentir e que te impulsionam a seguir em frente.

Porque essa é a única direção possível.

Então pega esse seu corpinho, que é o seu instrumento para experienciar tudo nessa vida, e que merece ser amado do jeito que é (é o único que você tem!) e deixa ele sentir todos os bons estímulos.

 

Sentir o sol aquecendo sua pele e seu coração. Não gosta de sol, praia e piscina? Por que não respirar fundo ao sentir o vento ou não correr da chuva em um dia bem quente? Deixa molhar! Aproveita pra dar um beijo na boca, ou se curtir sozinha. Lembre-se que masturbação é autocuidado (não precisa ter vergonha!!!).

 

Que tal comer alguma coisa que não faz parte do seu dia a dia, mas que te despertou vontade?

Por que não largar tudo aquilo que havia planejado para o dia e criar uma agenda nova só para se mimar?

Não estou falando sobre ser irresponsável, ou fazer algo que vai trazer consequências sérias, mas sim se permitir ter prazer no cotidiano. Todos os dias.

O que você vai fazer por você, e só por você, hoje?

Por aqui estamos entrando em recesso. Hora de renovar as energias, descansar, olhar para dentro, botar sentimentos para fora.

 

Que você possa celebrar esse final de ano com quem mais ama, ter uma virada excelente e um ano promissor pela frente.

Nós temos muitos projetos e vamos compartilhar tudinho com você!

Que você conquiste tudo aquilo que desejar!

Boas festas Freefree e até logo!

 


Um ano difícil, mas com motivos para comemorar

Em primeiro lugar eu queria te dar parabéns. Todas nós merecemos por ter chegado até aqui em um ano avassalador.

Tudo bem se você não leu a meta de livros que tinha planejado ler.

Tudo bem se a sua dedicação ao trabalho ou estudos não foi 100%.

Tudo bem se aquela gaveta ou armário que você prometeu arrumar continuam bagunçados.

Tudo bem se, da lista de promessas do último ano novo, você não conseguiu riscar nada.

Tá tudo bem.

Fizemos o que deu, estamos cansadas, emocionalmente abaladas.

Estamos vivendo no modo de sobrevivência há tempo demais.

Parabéns por você que trabalhou mesmo sem ter vontade, que foi gentil com as pessoas mesmo quando elas não foram com você, que teve a coragem de começar um novo negócio mesmo que isso tenha sido motivado por necessidade e não por realização.

Para você que fez uma verdadeira mágica na hora de pagar os boletos. Para você que decidiu investir em alguma terapia para se conhecer melhor e processar seus sentimentos. Para você que se permitiu comprar um mimo só para você.

Para você que não esperou um dia feliz, mas agiu ativamente para torná-lo feliz. Para você que descobriu a fortaleza que há dentro de você e que conseguiu superar os momentos de maior dificuldade e dor, incluindo a perda de alguém querido.

Parabéns para você que todos os dias decide que vai se amar e ser livre.

Sendo bem sincera, são poucos os grandes marcos que vamos celebrar ao longo da vida. E é por isso que precisamos comemorar as pequenas coisas do dia a dia, os momentos que nos fazem bem, quando estamos em paz.

Talvez você não esteja se sentindo ainda 100% como você mesma, mas isso também vai passar.

O mundo ainda tem coisas lindas para ver e viver. O momento pode não ser favorável, mas vai chegar o dia em que poderemos viver plenamente. De novo.

Por aqui, foi um ano de muito trabalho e de tirar projetos do papel, mesmo com todas as limitações e a impossibilidade de fazer os eventos que tanto gostamos. Adoramos uma boa festinha e de estar perto de você!

Essa construção por um mundo mais justo para as mulheres é nossa, e também queremos celebrar isso.

Para citar alguns projetos desse ano:

- Produzimos três webséries: Mulheres Free Free na história, Papo sério tá na moda e um especial de três episódios com a maravilhosa Mari Alixandre, falando da importância de conhecer o seu próprio corpo, prevenir o câncer de mama e se amar em todas as situações.

- Fizemos um projeto de geração de renda com mulheres de todos os biomas brasileiros que usam a natureza para criar sua arte.

 

- Celebramos a força que há dentro de cada uma de nós em #MInhaHistóriaMinhaForça

-Lançamos nossa própria plataforma de educação com um ciclo completo que traz dicas sobre começar seu negócio, usar a moda como ferramenta de cura e cultivar o amor próprio

- Em parceria com o Seu Jorge, iniciamos nosso projeto de advocacy que é o DCPR – De Dentro de Casa pra Rua – um manifesto em prol da equidade e do compartilhamento justo das tarefas entre pais e mães, em todas as suas interseccionalidades. Alterar as estruturas domésticas reflete no mercado de trabalho e até na segurança de um país. A gente mudo o mundo, de dentro de casa pra rua!

 

- Tivemos a honra de contar com a presença da renomada professora de Harvard, Dra. Joan  Johnson-Freese no nosso Summit, um evento realizado para celebrar os 15 anos da Lei Maria da Penha e que discutiu a relação entre equidade de gênero com prosperidade, segurança e estabilidade de um país. Também participaram Elza Paulina de Souza (Secretária Municipal de Segurança Urbana de São Paulo), Dra. Valeria Scarance (MPSP), Eduardo Fonseca (Diretor de ESG e Assuntos Institucionais do Grupo Boticário) e Yasmine McDougall Sterea (Free Free)

- Para ser livre e independente, é essencial ter liberdade financeira, mas se bancar vai muito além disso. Devemos bancar nossa aparência, nossos sentimentos, nossa personalidade. E assim nasceu o #EuMeBanco 

 

- Falar em educação sexual é oferecer os instrumentos para que os jovens façam escolhas conscientes, planejem seu futuro, cuidem da saúde e saibam identificar e evitar situações de abuso. Já a pobreza menstrual é um tema que ganhou grande repercussão esse ano, e é também uma realidade que precisamos mudar. Preparamos duas cartilhas sobre esses assuntos que estão disponíveis na nossa biblioteca.

- Esse ano o Festival Free Free foi virtual, mas o distanciamento foi somente físico. Tivemos uma noite repleta de informação, trocas, boas risadas e união feminina. Falamos sobre nosso corpo, sexualidade, menstruação, limites e sonhos.

 

- Em outubro lançamos as peças da coleção A nossa liberdade é pink em parceria com a DZARM. Além de promover a conscientização do câncer de mama e abordar o poder de cura da moda, essa colab apoiou os projetos de educação do Free Free. Também pudemos doar 100 consultas médicas para o Instituto Horas da Vida e mamografias com o apoio do FEMME - Laboratório da Mulher.

 

- Lançamos agora a segunda edição da nossa revista COLORIDO, que tá linda demais, abordando as nuances da dor e prazer sob uma ótica feminina e com a participação de mulheres mais do que incríveis. Você já pode baixar a sua edição aqui.

Esses foram alguns dos projetos que fizemos, entre tantos outros, e muitos ainda estão por vir!

É um orgulho saber que dia após dia estamos impactando vidas, transformando histórias e realizando nosso propósito de mais liberdade física, emocional e financeira para todas nós mulheres .
E que honra ter você fazendo parte dessa mudança com a gente. Que em 2022 a gente encontre soluções ainda mais transformadoras.

Todo nosso amor e gratidão!

Um grande beijo!


Dor e Prazer – Chegou a nova edição da COLORIDO

Você já parou pra pensar nas semelhanças entre dor e prazer? Podemos até dizer que são sensações opostas, mas de certa forma elas despertam em nós coisas muito parecidas.

 

Inclusive, existem estudos que associam a ativação das mesmas áreas do cérebro quando sentimos dor e um orgasmo, por exemplo.

Mas falando de forma mais geral, a maioria de nós prefere fugir da dor e buscar o prazer, não só o sexual.

Às vezes ampliamos uma dor que não merecia receber tanta ênfase.

Às vezes não aproveitamos um prazer de forma plena por sentirmos culpa, por não acharmos que somos merecedoras, ou por estarmos ansiosas já pensando que essa sensação boa que estamos sentindo vai acabar e, assim, não conseguimos apenas apreciar o momento.

Vivemos um longo período com a pandemia em que a dor foi constante, para não dizer diária, então está na hora de focar um pouco no prazer. De forma segura, claro.

Esse foi o melhor orgasmo que sentimos esse ano. Afinal, a vacina foi o que nos devolveu a vida. Viva a ciência!

 

Não que exista uma compensação cósmica, sendo que para cada dor que experienciarmos seremos presenteadas com um prazer subsequente, ou vice-versa.

Mas na vida, teremos sim momentos de dor e de prazer.

 

Podem ser involuntários ou autoinfligidos.

E o que está nas nossas mãos, ao nosso alcance, é como vamos lidar com essas duas sensações.

Nos momentos de dor, devemos ser compreensivas com nós mesmas, aprender a nos acolher. Não fugir ou minimizar. Não devemos tentar aparentar que somos fortes para o mundo e sofrer duas vezes por conta disso.

Quando a dor vier, abrace a sensação. Chore se precisar. Até ficar desidratada.

Não dizem mesmo que água salgada cura tudo? Sejam as lágrimas, o suor ou o mar...

E em relação ao prazer, precisamos aprender a nos permitir senti-lo integralmente.

Não é egoísmo valorizar o nosso prazer, sem medo de julgamentos, de ser associada a uma ou outra coisa. Um pouco de hedonismo não faz mal a ninguém.

Quer fazer algo? Faça. Quer usar uma roupa especial em um dia comum? Use. Pra que esperar uma ocasião especial? Faça você a ocasião especial.

 

E é nesse espírito, de um verdadeiro renascimento de primavera e verão, que anunciamos a segunda edição da COLORIDO, a revista da Free Free.

Com vários entendimentos sobre dor e prazer, e todas as nuances que existem entre eles, reunimos mais uma vez um grupo de mulheres incríveis de diferentes áreas para falar sobre esses temas.

Participam da nova COLORIDO Tabata Amaral, Maria Luiza Jobim, Liliane Prata, Dra. Larissa Cassiano, Dra. Carolina Ambrogini, Débora Taylor, Daniela Cachich, Bivolt, Aline Bei, Yasmine McDougall Sterea, Maya Weishof, Luiza Trindade, Ruchelli Begnami, Laura Jost, Cassia Tabatini, Raíssa Rocha Machado, Juliana Lourenço e June Canedo de Souza.

E também nossos parceiros Sempre Livre, Carefree, Quem Disse, Berenice?, eQlibri e GUCCI.

Clique aqui e acesse a revista. É free!

 

 

Para finalizar, a Yasmine deixa sua carta da editora aqui:

"Nenhuma mudança é fácil. A mudança precisa de uma imersão pulsiva dentro do ser para gerar algo de fato novo. Mudar é um mergulho em águas profundas. É o movimento que te joga pra frente, te abre o peito, chacoalha as estruturas. 2021 foi assim.

Sentimos dores que jamais vimos antes. Tivemos a morte batendo na nossa porta várias vezes. Sentimos o pesar do luto individual e coletivo. Vimos a pobreza chegar em níveis avassaladores, quando no desespero da fome, vende-se osso. E as mulheres, ah as mulheres. Meninas e mulheres sofrem ainda mais com o caos. Pobreza menstrual, gravidez na adolescência, aumento da violência, jornadas infinitas. Altos níveis de ansiedade e depressão. A loucura dos extremos. A polarização. A competição. O medo de não sobreviver (seja pelo vírus, pela economia ou pelo emocional). A tentativa de se segurar em qualquer coisa para não perder a cabeça de vez. A vida pelas telas.

Nunca se fez tão necessário ter lideranças femininas na política ou em outros espaços de poder para agirmos na mudança. Precisamos da voz feminina. De ação. De compromisso. Essa edição da COLORIDO mostra nossa dor, mas tamb

ém nossa coragem. Nos lembra que sentir prazer é nosso maior GRITO de liberdade. Gozar é pra todas. E não estou falando apenas de sexo. Vamos gozar a vida. Então mulher eu sei que doeu, eu sei que você mudou.

Assim como eu que perdi amigas, familiares, mudei de casa, de olhar, de vida. Me afundei na terra. Abracei a natureza. Me perdi dentro de mim. Assim como eu que sofri, que caí, que gritei. Eu tamb

ém descobri uma nova mulher que vivia em mim. E tenho certeza que você também descobriu. Se olha no espelho, sente sua coragem tomar conta de você.

Você está viva! A gaiola de ouro se abriu. Goza. Beija. Pinta. Mostra. Escolhe… Quem é a mulher aí dentro que renasce da dor e está pronta pra  sentir PRAZER?"

 

Um grande beijo e lembre-se: entre dor e prazer, o importante é viver!